Núcleo de Investigação e Pesquisa em Psicanálise e Medicina

Coordenação: Maria Bernadete de Carvalho

Coordenação adjunta: Márcia Abreu Fonseca

Horário: 12h às 13h30

Local: Alameda Vereador Álvaro Celso, 271 - Centro, Belo Horizonte.

Inscrições: Secretaria do IPSM-MG

 

Ementa

Os trabalhos do NIPPM neste semestre estão orientados pela pesquisa a respeito das noções de infamiliar e de feminino na psicanálise, para examinar suas conjunções, sugeridas, de início, pelo fato de que ambas nomeiam experiências da alteridade. Ambas as noções ocupam essa posição limite com relação ao simbólico: dentro e fora dele; fora do simbólico, mas ainda assim, somente situável ou alcançável num além dele, contando com ele.

Nos seminários teóricos e clínicos estudaremos essas noções nos perguntando a respeito de como se dá hoje o encontro dos sujeitos com essas figuras da alteridade. Perguntamo-nos sobre as apresentações contemporâneas do infamiliar e dos recursos de que se dispõe para responder a elas. Interrogamos a produção tecnológica do infamiliar no corpo por intervenções médicas, as dificuldades com o feminino entre sujeitos anoréxicos e a travessia solitária do adolescente, em um território sempre estrangeiro, através de casos clínicos.

 

Horário: de 12:00 às 13:30.

 Em 08/05 - Conversando sobre a pandemia.

Dia  22/05 - O corpo: familiar e estranho.

Guilherme Ribeiro e Fernando Bottoni.

Dia 05/06 -  - Unheimlich, feminino e anorexia.

Délcio Fonseca e Cristina Vidigal.

 Dia 19/06 -  Das unheimlich e as segregações sem Outro.

Lucíola Macedo e Márcia Abreu. (Confirmando hj.)

Dia  03/07 - O infamiliar e a adolescência.

Roberto Assis e Cristiane Cunha.

Dia 17/07 - Comentário do filme "A pele que habito". (A confirmar)